Desmembrando a Fisiognomonia

Introdução

O objetivo primário deste artigo é apresentar ao presente leitor, uma técnica oriental que hoje tem estado cada vez mais presente dentro das clínicas dos profissionais da hipnose, inclusive, tal técnica é utilizada nos tratamentos da Hipnos Centro de Hipnose, não só pelas inúmeras formas que esta técnica disponibiliza sobre o paciente para o terapeuta, mas também, é importante pelo nível de detalhes da vida que a fisiognomonia nos proporciona sobre a pessoa analisada. Espero despertar em cada leitor um interesse, independente de razões pessoais ou profissionais, para estudar mais a fundo a fisiognomonia e sua importância não só para os profissionais da hipnose, mas para todo ser humano preocupado com o desenvolvimento em sociedade. 

O que é a Fisiognomonia?

Se torna irônico pensar que segundo a ONU (Organização das Nações Unidas) no ano de 2017, estimava-se que no mundo, todo dia, nasciam aproximadamente 211.000 (duzentos e onze mil) pessoas por dia, ou seja, seriam três pessoas nascendo por segundo, três pessoas distintas em lugares distintos do mundo. Por mais que não seja um dado exato e jamais será, se torna fascinante e triste sabermos que muito mais da metade de todas essas pessoas não tem perspectiva de atingirem seus objetivos e sonhos que ainda nem imaginam que terão, por diversos fatores, os pais não saberão como desenvolver corretamente o interesse e a disposição destes recém nascidos para suas devidas habilidades, pressão social, fé, crenças limitantes, deficiência (somente se a área límbica for mais presente que o desenvolvimento do neocórtex), auto sabotagem, traumas, fobias e acidentes de percurso. A humanidade está sempre presa ao acaso. Qual relação a Fisiognomonia tem com isso descrito acima?


Resumidamente, a Fisiognomonia é hoje tida como uma das modalidades da medicina chinesa, contudo, vamos desvencilhar quaisquer “ar místico” que ela possa ter para que você leitor, possa compreender como ela funciona. Nascida na Índia quando o antigo povo indiano estudava as rugas do corpo humano e os motivos pelos quais nasciam, se teve a primeira proximidade com o que se tem hoje por Fisiognomonia, na qual se faz a leitura de todas as expressões marcadas no rosto de todo ser humano, sendo assim, a partir da leitura das formas geométricas, alinhamentos e expressões marcadas em um rosto, tem-se acesso aos padrões da pessoa analisada.


Deixo um ressalvo que leitura de micro expressão facial e a Fisiognomonia são técnicas distintas, a leitura de micro expressões, trabalha com as reações inconscientes que o rosto humano reproduz a partir de determinados acontecimentos, a Fisiognomonia por sua vez, trabalha exclusivamente com o que já está marcado no rosto das pessoas, sem depender de reações e caretas, a aplicação das técnicas aprendidas com a Fisiognomonia pode ser aplicada sem precisar ver a pessoa pessoalmente, você pode analisar ela por uma foto (o que os terapeutas fazem ao receber uma mensagem de um possível paciente por meios de comunicação). 

Fisiognomonia e as habilidades humanas

  

Todo ser humano desenvolvido em sociedade alguma vez escutou a frase “você tem um dom” ou “você tem um dom para isto”, independente do idioma, esta frase é universal, todavia sendo uma forma simples e ao mesmo tempo elegante de se descrever a posse de uma determinada habilidade ou cuidado para com algum assunto. A Fisiognomonia deveria estar presente na vida de cada pai e mãe desde quando o filho do casal nasce, assim, saberão criar ele de acordo com seus limites e propensões de comportamento. Saber se seu filho irá ser uma pessoa de perfil para liderança, não te incentivaria a colocar ele em cursos preparatórios desde cedo, ou até mesmo no teatro para desenvolver suas habilidades de fala e exposição em público? Se você soubesse só ao olhar o rosto do seu filho quando criança, que ele terá um perfil de uma pessoa extrovertida e muito fisicamente disposta, não seria você um bom pai ou mãe ao inscrever seu filho(a) em uma academia de artes marciais, uma “escolinha” de futebol ou vôlei? Quem sabe até natação ou ginástica!


  

Um pai que não tem discernimento dos comportamentos do seu filho, tende a criar seu filho sem um norte, apenas escutando conselhos vindos de externos e conhecimentos soltos em meios de pesquisa, como a Google por exemplo.


  

Sem um norte exato, como um pai poderá traçar metas para o desenvolvimento do seu filho? Como um pai poderá saber quando castigar seu filho por atitudes e decisões que ele tomou ou reproduziu. Se você não saber que seu filho é uma criança disposta e com muita energia para ser gasta, você pai ou mãe pode acabar brigando com ele, o que pode gerar um trauma a partir de uma programação que você o incentivou a criar por conta da sua ignorância, sendo ela: Se sou ativo, incomodo, se incomodo meus pais me batem ou brigam comigo, apanhar e me envolver em brigas podem me machucar, se machucar afeta minha estrutura física, se afeta minha estrutura física é ruim, como faço para não correr esse risco? Reprima-se e se torna introvertido. Pior ainda, por ser muito ativo, pode ser levado a algum profissional da psicologia mal preparado e preguiçoso que também desconhece a Fisiognomonia e diagnosticar uma simples criança que tem energia para gastar, com o famoso Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (DDA).


 A partir da ignorância de um pai ou mãe, pode-se gerar também uma série de problemas psicossomáticos (psicopatologias) como por exemplo a depressão e os transtornos de ansiedade, afinal, você pai ou mãe (a partir deste ponto é um exemplo, existem milhares de outros e outras situações que geram o mesmo resultado) que não sabe que seu filho ao ter um retangular é sinal de uma pessoa já adequada a uma vida metódica, com padrões, expões seu filho a rotinas e atividades completamente aleatórias e sem sentido lógico para ele, o que pode gerar uma frustração pelo nem tão bom desemprenho da criança e ela se sentir envergonhada, insuficiente e até mesmo incompetente o que a longo prazo pode gerar o transtorno de ansiedade. Ao se ter um filho e ter a chance de com informações passadas pela Fisiognomonia poder saber com o que as capacidades dele irão melhor se desenvolver e você por ignorância o empurra em outra área, você tem um jovem infeliz, que começa a procrastinar, que pode se imputar a um ou muitos mais vícios (químicos ou não), pode-se ter um jovem em depressão, afinal, sua função subconsciente de autoproteção, tentando preservar não o físico mas todo o emocional dele que se sente como lixo em uma atividade que o mesmo não se adequa, o coloca em um estado que fique mais confortável permanecer inerte em baixo de longos cobertores, o que em um primeiro momento pode ser razoavelmente bom, mas a médio e longo prazo destrói uma vida social e as vezes... literalmente uma vida.


   

As habilidades são tão evidentes no rosto humano, que a Fisionomia deveria ser, na opinião da equipe Hipnos, matéria obrigatória para equipes de recrutamento para corporações, saber se o entrevistado é uma pessoa que pensa antes de agir, se a famosa frase “meu maior defeito é que sou perfeccionista” é verdade ou não evidentemente e não só por senso comum de ser uma mentira descarada, saber se o entrevistado tem a capacidade e coragem de assumir lideranças, tudo está no rosto, nós apenas não sabemos ler.


   

Temos com a Fisiognomonia a habilidade e a capacidade de sabermos quem contratar para cuidar de nossos filhos, quem cuidar da nossa casa, saber como são as pessoas do meio social dos seus parentes e até mesmo saber o caráter da pessoa para quem você estará vendendo um carro. Arrisco a falar que se juízes soubessem as técnicas da Fisiognomonia, 80% do Congresso Nacional hoje estaria na cadeia.

Mudanças fisiológicas e o comportamento humano

Se certos fatores no rosto das pessoas expõe a vida dela para quem souber interpretar, o que acontece quando o rosto de alguém muda? A resposta é simples, muita coisa!

O comportamento humano muda, afinal, uma pessoa antes introvertida por conta de um queixo “para dentro” e um grande nariz, ao consertar isso, não irá se sentir melhor e começar a se exibir, de certa forma? Sem dúvida alguma, ela consertou o que estava “errado”, caso contrário, seria como sentir vergonha do seu carro enferrujado e ao reformar ele manter na garagem. Muitas vezes nem é necessária a intervenção cirúrgica para que este “carro” venha a sair da garagem, a própria atitude de expor o “carro” aos demais tem inclusive a possibilidade de iniciar uma mudança na fisionomia do “motorista”.

Então, o que a Fisiognomonia observa?

  

Todo o rosto, esta resposta diminui horas e horas de conversa. Saber que cada linhas de expressão que se forma em um rosto humano tem um significado atrelado, diz por exemplo se a pessoa já sofreu dores físicas intensas por um tempo prolongado da sua vida, talvez uma internação por um trauma ou acidente. O nariz pode nos revelar muito sobre o ego de uma pessoa, por isso os ocidentais e orientais tem um nariz tão distinto, os orientais não sentem a necessidade de se mostrar para tudo e todos como os ocidentais, afinal, eles não tem o slogan norte americano “I have a dream”, leia-se, ser rico e famoso. Quer saber se você provavelmente irá levar uma “bronca” ou escutar uma história “pra boi dormir”? Observe a íris dos olhos da pessoa analisada e então passe a traçar uma linha na vertical para baixo, quanto mais próxima for a boca, ou até mesmo passar dessa linha imaginária, mais propensa será a pessoa a contornar toda uma situação na base da fala para então chegar onde desejava, quanto mais ao contrário, ou seja, quando mais distante as extremidades da boca de uma pessoa dessas duas linhas imaginárias (boca pequena) mais direta essa pessoa tende a ser.


  

Nossa mente é dividida em três etapas:

  • Neocórtex (racionalidade);
  • Sistema Límbico (emoção);
  • Reptiliano (reação).


  

A zona da testa mostra o desenvolvimento do Neocórtex de uma pessoa, ou seja, o quão racional esta pessoa é. A zona dos olhos até a boca mostra o desenvolvimento do Sistema Límbico, ou seja, quão emocional esta pessoa é, e por fim, o maxilar irá mostrar o desenvolvimento do seu sistema reptiliano, ou seja, quão instintiva a pessoa analisada é de fato. O último tópico pode ser analisado pelas reações possíveis de um ser vivo ao se deparar com um conflito Lutar, Fugir ou Congelar (F.F.F. = Fight, Flight or Freeze). 

Considerações Finais

  

Não se faz necessário grande alarde nesta etapa do artigo, creio ter discriminado minha opinião pessoal durante o decorrer de minha escrita, contudo, repito então que a Fisiognomonia é algo imprescindível para todo aquele que quer e se importa com o desenvolvimento social, até mesmo quem o quer entender para impressionar possíveis parceiras de uma única provável noite. Caso lhe reste dúvidas sobre a Fisiognomonia, veja quando será o próximo curso da Hipnos Centro de Hipnose, fazemos uma introdução prática a fisiognomonia em nossos cursos, ou, encaminhe uma mensagem em alguma das minhas redes sociais para que eu possa sanar suas dúvidas.


Filipe Luís Souza

Hipnólogo, Hipnoterapeuta & CEO